Twin Peaks (2017- )

O que dizer sobre Twin Peaks? Depois de 25 anos David Lynch e Mark Frost retomam a trama e, aparentemente, com total liberdade para fazer aquilo que sabem fazer de melhor: transportar a gente para um universo fantástico.

Fiquei protelando sobre o que escrever a respeito do retorno, e quanto mais eu penso mais me parece claro que para aproveitar Lynch você precisa estar aberto ao que ele quer lhe mostrar. É preciso deixar nossas idéias de como o plot de um show de TV deve se desenrolar de lado e simplesmente se deixar levar.

O 1º episódio foi o mais difícil para mim neste aspecto porque eu tinha me esquecido como Lynch é diferente, então senti uma certa resistência interior e disse “mas o que diabos esta acontecendo?“. Mas daí eu percebi que deveria simplesmente largar minha ideias pré-estabelecidas e deixar rolar.

Lynch mistura momentos bizarros com outros extremamente ordinários e isso faz toda a diferença, faz a gente de alguma maneira se sentir imerso na trama. Um exemplo disso é a cena onde Harry Dean Stanton esta no parque e vê mãe e filho brincando. O que aconteceu antes, a conversa que ele teve no carro, e o que acontece a seguir, aquilo foi ultra real e tocante.

Outra situação, esta um tanto bizarra e que pode parecer engraçada, mas na realidade muito triste, é “Dougie Jones” e como ninguém parece perceber a situação que ele se encontra. Senti ali um reflexo e uma certa crítica dos tempos em que vivemos.

Tudo faz sentido quando a gente pára de olhar somente na superfície, diferente de como acontece com a grande maioria dos shows onde tudo é mastigadinho e reduzido para a compreensão do telespectador.

Claro que eu não quero dizer que precisa ultra-analizar tudo ou que somente pessoas com um certo intelecto que vão conseguir entender ou apreciar Twin Peaks, longe disso.

Depois do episódio de semana retrasada “Gotta Light” eu acredito que para apreciar o que Lynch nos oferece é preciso um certo olhar e uma certa entrega. É apenas um programa de tv, mas oferece um pouco mais do que isso se você permitir.

Twin Peaks RR

Pode ser que eu esteja muito ligada a Twin Peaks e ao seriado original que marcou momentos da minha vida, e se for isso, bom, mesmo assim eu recomendo a série. Atores e elenco de cair o queixo, direção de arte, fotografia e trilha sonora fenomenal, e o mistério vai deixar você na beirada no assento.

Se você não assistiu a série original talvez sinta dificuldade em sacar o que esta rolando, então eu recomendo assistir o filme de David Lynch Fire Walk with Me, pois ele é a base para entender muitas coisas que estão acontecendo.

Para quem tem tempo e paciência, melhor assistir a série original, em seguida ao filme e depois começar por esta de 2017.

Deixe seu comentário