A Man in Love, Karl Ove Knausgård

Terminei o 2º volume de Min kamp, A Man in Love, de Karl Ove Knausgård. O 1º volume me acertou em cheio, eu adorei, mas este foi mais complicado para mim…

Neste, como o título já deixa claro, ele retrata sua vida a partir do momento em que deixa a sua primeira esposa, a sua necessidade de “fugir”, a mudança e adaptação em Estocolmo e a paixão por sua esposa atual, Linda.

A Man in Love, Karl Ove Knausgård

Neste volume ele entra em detalhes da vida do casal: como se sente ao virar pai e as dificuldades de criar filhos, o desejo intenso de escrever, a amizades com outros escritores, em particular seu amigo Geir, etc.

Igual ao 1º volume, ele fala do íntimo de uma maneira quase universal e eu acho isso sensacional. Eu duvido muito que uma pessoa ao ler este livro, ou algum desta série, não tenha passado por situações ou sentimentos similares. Isso que ele sabe fazer tão bem, as questões, as angustias, os desejos que nos parecem tão únicos, tão pessoais “ninguém entendo porque não passaram por isso” são na realidade banais, outras milhares de pessoas já sentiram ou passaram por algo similar. A única coisa que faz a sua situação especial é que ela é sua.

A narrativa de Karl Ove é cativante como no 1º volume, parece que estou conversando com um amigo, o ouvindo relatar seu dia, suas angustias, sua vida. O problema é que eu tolero muito pouco os problemas relacionados a amor, casamento, viva conjugal. Eu já passei por isso, já tive minha cota de relacionamentos e ouvir sobre o dos outros é bem broxante. Não leio romance por esse motivo.

Não sou o tipo de pessoa que quer saber quem esta namorando quem, como esta o relacionamento de fulano ou sicrano ou se alguém esta traindo, isso não me importa, então um bom pedaço deste livro foi um tanto quanto aborrecido para o meu gosto. Não ajuda nada que o relacionamento deles me pareça um pouco disfuncional.

Tirando meu desgosto por esse pedaços, o resto do livro em que ele trata da vida, da mudança, da adaptação a nova cidade, os relacionamentos interpessoais e até mesmo da criação das crianças, é muito bom, tocante.

Super recomendo a leitura, principalmente se você leu o 1º volume. Eu vou continuar com os outros volumes, mas não agora. Este é o tipo de livro que faz a gente pensar, então vou dar um espaço de tempo até pegar o 3º volume.