Nem tudo que reluz é ouro…

Ontem vi este artigo onde a atriz Gemma Arterton alerta que muitos atores estão sendo escolhidos para seus papéis não pelo talento, mérito ou trabalhos anteriores, mas pelo número de seguidores que possuem nas mídias sociais. Bom, isso com certeza explica a ascensão de Cara Delevingne, que como atriz é uma excelente modelo.

Obviamente, não estou surpresa. É só olhar o poder e ascensão social de pessoas com milhões de seguidores no Instagram, por exemplo, as Kardashians, para ver como essa idéia brotou na cabeça dos suits do showbiz…

O que me surpreende é ninguém questionar estes números. Preste atenção, a pessoa pode ter milhões de seguidores, mas o número de likes é sempre por volta de 1% para contas pequenas e médias e 10% para contas maiores. Existem excessões, sim, mas é isso que são: excessões. O resto, é across the board, você pode entrar em várias contas, a percentagem é sempre semelhante. Isso acontece porque as mídias socias estão super inchadas com:

1) Contas Inativas, a pessoa fez a conta, aceitou a sugestão de quem seguir que o app faz quando você loga pela 1ª vez (geralmente, as pessoas mais famosas da sua rede) e nunca mais voltou a logar;

2) Contas falsas. É notório o mercado paralelo de compra de seguidores, onde pessoas pagam para parecerem populares. Uma pessoa é dona de milhares de contas falsas e oferece esse serviço. E centenas de pessoas oferecem esses mesmo serviço, então imagine QUANTAS contas falsas existem para suprir a demanda de “popularidade”. No Twitter é fácil perceber, são contas geralmente com ovos no perfil e seguidas de número, por exemplo, patricia76542800. No Instagram são contas que seguem milhares de pessoas, tem pouco ou nenhum conteúdo e poucos seguidores.

É claro que celebridades não tem necessidade de pagar para ter seguidores falsos, mas as pessoas que vendem seguidores, para burlar o algoritmo e evitar serem banidas, seguem famosos e aleatórios para disfarçar. E isso acontece EM TODAS mídias sociais: Twitter, Facebook, Instagram, Vine, etc. Todas. Você pode comprar seguidores, comprar likes, comprar retwittes, comprar shares, enfim, tudo que uma conta real pode fazer, uma conta falsa pode fazer também, se você pagar.

Conta de uma pessoa muito famosa com seguidores falsos
Conta de uma pessoa muito famosa com seguidores falsos

Existem ferramentas que ajudam você a descobrir se seus seguidores são falsos, mas aos poucos essas ferramentas estão sumindo, pois os próprios sites não querem desvendar o quanto de seus usuários são fakes. Pense em como o FB celebra quando alcança um número extraordinário de usuários. Para eles é interessante que os anunciantes saibam que, via FB, eles potencialmente atingirão esse número fantástico de pessoas com seus anúncios. FB não vai falar “olha, temos 1,721,000,000 de usuários, incluindo as contas falsas, contas inativas, contas duplicadas, contas de pessoas que morreram, etc” para os anunciantes, não é mesmo? O mesmo ocorre no Twitter, Insta, etc. Contas falsas é um bom negócio para as mídias socias, pois elas indicam crescimento do serviço. E claro, não faz mal nenhum as pessoas famosas, que cobram para fazer merchant de acordo com o número de seguidores que possuem.

Tem que ser muito sonso para acreditar que a pessoa que tem 80 milhões de seguidores realmente alcança essas 80 milhões de contas. O Insta de Kim Kardashian, por exemplo, só chega na marca dos 10% de likes do seu total de seguidores quando posta videos. Poucas fotos do seu feed chegam a essa marca de 10% recentemente. Claro que é um reach imenso sim, 8-10 milhões de likes, mas pode ser que alguém com 40 milhões de seguidores, metade da Kim, tenha um reach exatamente igual ao dela ou maior, e mais “poder” real de influenciar, dependendo de onde e quem seja essa pessoa.

No Youtube, por exemplo, DisneyCollectorBR com 8 milhões de inscritos ganha quase o mesmo que PewDiePie com 47 milhões. Logo, DisneyCollectorBR, um canal mais novo, com menos vídeos, com pouco gasto de produção e maintenance das mídias socias (só tem YT e ponto) é, no final das contas, o canal que realmente esta se dando muito bem.

Gráfico de comparação entre DisneyCollectorBR e PewDiePie
Gráfico de comparação entre DisneyCollectorBR e PewDiePie

Claro que nem todas pessoas que seguem dão likes ou reshares, mesmo assim, vamos dar uma margem maior, mesmo que 15% se manifeste dando like ou reshare e 15% fique em silêncio porque não de participar, quem são esses outros 70% que entram mudos e saem calados?

O número de seguidores/inscritos não é necessariamente algo que pode, a primeira vista, ser usado como régua de sucesso. Tem muito coisa que entra neste angu.

Lembrem-se disso: em nenhum lugar a frase “nem tudo que reluz é ouro” é mais verdadeira do que nas mídias socias.