Cultura do estupro?

Assisti The Hunting Ground recentemente, um documentário que trata sobre estupro nas prestigiosas faculdades americanas, como os casos são jogados pra baixo do tapete e o quanto essa experiência é devastadora para os estudantes e suas famílias.

Deprimente, mas não posso falar que estou surpresa. A maior preocupação das faculdades é lucrar e perpetuar seu prestígio, para que, obviamente, continuarem lucrando. Ouroboros. Em casos onde o acusado faz parte da equipe atlética, a trama é ainda mais tenebrosa, já que a importância do atleta a seu time supera a necessidade de justiça para a vítima. A parte positiva é ver as vítimas unidas em busca de mudanças.

Cultura do estupro

Foi pensando neste doc, no estupro coletivo e todo debate sobre a cultura do estupro que pensei em postar o vídeo da Marcia na comunidade brasileira do Reddit. Não sou membro ativo e o Reddit em si é um buraco negro, você nunca sabe como seu comentário vai ser recebido, mas já vi discussões interessantes na comunidade brasileira e algumas cabeças pensantes. Mas desisti quando uma rápida lida nos tópicos da comunidade me lembrou discussões anteriores sobre estupro.

Sempre que o tópico de estupro aparece, um grupo de membros, ao invés de discutir sobre o ocorrido ou simplesmente ignorar se o tópico não interessa, começam a falar do problema das mulheres que mentem que foram estupradas e/ou como “sabemos que x estupros não são reportados, já que eles não são reportados”? TODA santa vez a mesma ladainha. Por que? Qual a dificuldade em ter empatia com a pessoa que sofreu a agressão e abrir um tópico sobre estatísticas de falso estupro no outro dia?

Nunca vejo questionamentos sobre a percentagem de assaltos falsos, mesmo tendo certeza de que devem acontecer, assim como devem acontecer acusações falsas de estupro. Porém no momento em que uma pessoa apresenta a queixa, no momento em que esta vulnerável, porra, esse não é o momento de duvidar do que ela esta falando. Ouvir, dar apoio moral, coletar evidências e encaminhar para que as autoridades competentes façam seu trabalho. Não é meu dever julgar se a pessoa que disse que foi estuprada foi mesmo ou se ela esta mentindo.

É impressionante como uma parcela das pessoas são ignorantes, ou se fazem, não sei. No caso do estupro coletivo muitos acham que a garota esta mentindo porque ela era ativa sexualmente e supostamente já tinha participado de orgias. E/ou estava metida com bandidos, então mereceu o estupro.

O que dá para perceber é para muita gente estupro é só quando a mulher é pura e do lar, do contrário, teve o que mereceu e/ou esta mentindo porque se arrependeu. Imagino que para essas pessoas seja impossível estuprar uma prostituta, né?

E como se não bastasse tanta gente acéfala, a mídia que não sabe escrever sobre estupro sem florear o crime, ainda temos, para fechar com chave de ouro, policiais expondo e vomitando opiniões vergonhosas sobre o caso.

A sensação que tenho ás vezes é que estamos cercados de sociopatas que não conseguem ver o outro como ser humano, como semelhante. Humano é ele, os outros são o estorvo, o lixo, o nada, o ninguém.