Como assim, Geraldo Alckmin?

Como assim, Geraldo Alckmin? Confesso que estou um pouco confusa. Não era o digníssimo que estava com Aécio Neves no dia 13/03/2016 no Palácio dos Bandeirantes, para juntos irem ao protesto pelo impeachment da presidente Dilma Rousseff na Avenida Paulista? Aquele triste domingo, lembra, onde os seus semelhantes, que deveriam tê-lo recebido de braços abertos, mas como que por mágica ou Dom Perignon, tiveram um momento de lucidez e acabaram hostilizando você e Aécio?

Pois senhor governador, até outro dia estavas a pedir a cabeça, perdão, o impeachment da presidente Dilma Rousseff junto com vários colegas, para agora, no dia 21/04/2016 em uma reunião com grandes empresários, dizer que falta um motivo para o impeachment e se Dilma cair por razão frágil, como as pedaladas fiscais, existe risco para a democracia?

Poxa senhor governador, assim não dá para te entender! Será que a vaia daquele domingo baixou seu facho? Ou talvez as multidões que são contra o impeachment amoleceram esse coração? Ou quem sabe, jornalistas de peso e respeito do mundo todo, com suas análises certeiras começaram a lhe abrir os olhos? Ou ver como os colegas, fanáticos ensandecidos, mordem a mão que lhes alimenta, lhe meteu aquele medinho de que talvez a sua seja a próxima merenda? Será que brotou o bom senso ou foi só a auto-preservação que bateu forte?

Enfim, Geraldo Alckmin, mudaste de opinião. Excelente! Mas fica a dica: seja menos frívolo e leviano nos seus posicionamentos futuros, principalmente os que envolverem a vida de milhões de brasileiros.