Random Access Memory

Será que o espaço da nossa memória é limitado e as coisas começam a ser “escritas” por cima quando o espaço vai ficando pequeno? Por que lembramos de coisas totalmente sem importância com uma clareza impressionante e momentos especiais as vezes se perdem ou ficam embaçados? Como o “arquivo” funciona, por ordem de importância não deve ser. Foco? Presença?

Fiquei pensando naquela câmera que uma pessoa acoplou a camiseta e que tirava fotos durante o dia num intervalo de 1 minuto (acho). Hm. Apesar do fator super creepy, gostei da idéia, em teoria. Imagine uma câmera atrás dos olhos, gravando tudo, hm. Loucura! Imagina o potencial para uma torrente de coisas ruins acontecendo: espionagem, blackmail, surveillance.

Mas poder rever aqueles momentos felizes… ah, seria bom. Ou não, sei lá. Talvez a sensação de que foram bons momentos não possa ser revisitada ou se revisitada, a constatação de que não foram tão felizes assim.

You know, the past always seems better than it actually was.