Flappy Bird

A primeira vez que ouvi falar de Flappy Bird foi no sábado de manhã, quando conhecidos estavam competindo para ver quem conseguia chegar mais longe. Sábado a noite fiquei sabendo que o criador ia retirar o jogo das lojas virtuais em 22 horas e assim o fez no domingo.

Li fofocas de que o criador não estava conseguindo lidar com a pressão de ter um joguinho famoso e tudo que acompanha esta exposição: gente reclamando, xingando, fazendo ameaças, etc. Por um lado eu entendo: quando comprei meu primeiro iPhone pensei em fazer apps, mas lendo os comentário de gente ingrata, que baixa o jogo gratuitamente e se vê no direito de espezinhar o criador me fez desistir da idéia. Ninguém merece ter que lidar com isso e desejo boa sorte ao criador.

Por outro lado, corre a boca pequena que ele estava ganhando uma grana lascada só com os anúncios, algo em torno de U$50.000 por dia. Uau. Não sei se isso é verdade ou não, mas imagino que um jogo bem sucedido deve arrecadar uma boa grana. Se eu estivesse ganhando metade desta grana por dia, ia ligar o “0 fucks given” e tiraria umas férias com a minha família. Eu heim, nos dias de hoje não dá para fechar uma torneira destas não… 😉