Juramento a Bandeira

Dia 28 de julho deste ano eu fiz o juramento a bandeira e me tornei, oficialmente, cidadã americana, 20 anos depois de ter me mudado para NYC pela primeira vez.

Naquela época eu não penseva em me tornar cidadã, era muito jovem e sabia que em algum momento teria que voltar para o Brasil para tocar o negócio da familía. Quando voltei para o Brasil em 95 não senti a menor vontade de retornar ao US. Tinha sido bom sim, mas queria estar aqui.

Algum tempo se passou e fui para a França estudar hotelaria, as coisas mudaram em casa, o negócio da família também e acabei retornando a NYC e desta vez fiquei. Já um pouco mais velha, percebi a importância da cidadania, mas foi exatamente na época em que as coisas estavam ficando mais difíceis para quem queria regulamentar sua vida lá e fui simplesmente vivendo, entre visto de turista, estudante e imprensa. Em 2004 conheci meu marido, ficamos juntos alguns anos e nos casamos em 2008.

Foram quase 20 anos de idas e vindas, alegrias, apertos, perrengues, surpresas e olhando para trás, acredito que os momentos bons superaram os ruins, mas mesmo assim, não foi fácil, tanto que de vez em quando me pergunto quem eu seria hoje se eu não tivesse feito a escolha de ir morar fora. Mais leve, mais otimista, mais estavel, mais popular, mais brincalhona e claro, mais brasileira? Aqui me sinto como um penetra numa festa, com medo de se mover, não querendo chamar atenção sobre si mesmo, de olho na porta da saída caso seja descoberto. Mas o pior é que também não me sinto em casa lá fora, a diferença é que conheço os donos da festa, gosto da música e mesmo que seja uma festa vegetariana e eu goste mesmo é de carne, dá para beliscar. Hehe… Mas enfim, eu sinto como se eu pertencesse a lugar nenhum, tem um vácuo naquela área que a gente preenche com “lar”.