Tell All, de Chuck Palahniuk

Peguei o novo lançamento de Chuck Palahniuk, Tell All, e deixa eu te contar, que decepção. Não vou dizer que sou fã número 1 do cara, mas gostei bastante de alguns dos livros anteriores (Fight Club é o meu favorito; Haunted é engraçado e dark; Snuff é ok e Invisible Monsters passável), porém este livro é uma surpresa. No pior sentido da palavra.

Escrito como script de filme, com nomes e marcas em boldface (que idéia!), a narradora, que é uma espécie de secretária/criada, conta a vida de sua patroa, uma famosa atriz de Hollywood em decadência, e tudo que as cerca: traições, casamentos, divórcios, blablabla.

Personagens batidos e flats, tópico vazio e sem graça, trama previsível, enfim, aquele tipo de livro que faz você se perguntar: 1) “cadê o editor desta joça?”, para rapidamente levar as mãos a cabeça em desespero e 2) “o que estou fazendo lendo isto?” Eu já coloquei de lado, pois embora não tenha me custado nada, meu tempo não esta para ser gasto em asneira.