Crise? Que crise?

Estou passando por uma crise existencial, daquelas quem sou eu? a que vim? o que faço? para onde vou? estou no caminho certo ou me desviei em algum ponto? e onde? dá para voltar e consertar ou é tarde demais? etc etc etc…

Se já estou madura o suficiente para não deixar crise nenhuma me tirar o sono, pelo menos durante o dia estas perguntas e tantas outras me perseguem. Incessantemente. A rotina, que deixa tanto espaço vazio para esse tipo de questionamento, não colabora. Se pelo menos eu tivesse bons exemplos a me injetar esperança de que as coisas podem dar certo e que não simplesmente nascemos, crescemos, trabalhamos até cansar e daí, morremos… Mas necas. A grande maioria esta tão perdida ou mais que eu, salvo aqueles que estão igualmente perdidos, mas não sabem, então esta tudo bem. Viver em denial tem seu lado bom…