A Morte E a Morte de Quincas Berro D’Água

Claro de depois de falar de um livro péssimo, preciso falar de um livro excelente, para balancear aquele gosto de coisa ruim. Terminei de ler A Morte e a Morte de Quincas Berro D’Água, de Jorge Amado. Que maravilha, que prazer, que viagem!

O livro é uma mistura do fantástico com real. Os personagens são tão paupáveis que é assustador. Ao terminar o livro a impressão que eu tenho é que eu conheci essas pessoas e um pedacinho da vidas delas. Os personagems saltam das páginas.

Eu não sei porque levei tantos anos para “descobrir” Jorge Amado, mas resolvi ler este senhor há poucos anos e acredito mesmo que por obra do destino, comecei no momento exato, quando, cheia de saudades e desiludida com o que reluzia mas não era ouro, aprendi a apreciar de verdade as coisas maravilhosas do Brasil. Houve um tempo que Dostoevsky era meu deus e senhor, e embora ele continue no topo, Jorge Amado chegou de mansinho e lhe tomou o lugar com sua cadência baiana, seu bom humor e a paixão de brasileiro