Estou surpresa de não estar vendo mais sites de news (daqui e do Brasil) falando sobre o vídeo que mostra um jornalista da Reuters, Namir Noor-Eldeen, seu motorista Saeed Chmagh e outras pessoas sendo assassinadas em uma praça em Bagda por atiradores das tropas americanas. O vídeo é brutal, tanto pelas cenas tanto pelo que é dito pelos soldados.

O ocorrido foi em Julho de 2007 e a Reuters pediu uma investigação sobre o ocorrido e também o vídeo, que aparentemente não receberam, mas que vazou para o Wikileaks.com. O Pentagono disse que não houve quebra de protocolo e os soldados agiram corretamente. Tá bom, isso é pior do que o escândalo de Abu Ghraib na minha opinião.

No vídeo os soldados acham que a camera que ambos o jornalista e o motorista carregam é um RPG (uma arma que lança granadas) e pedem autorização para atirar. Recebem autorização e abrem fogo. Quando o motorista, ferido e desarmado, começa a engatinhar para se proteger, os soldados torcem para que ele aponte uma arma para que eles possam atirar. Um van se aproxima e tenta socorrer o motorista, mas os soldados pedem permissão mais uma vez para abrir fogo contra a van e recebem. Só que o Acordo de Genebra dita que pessoas que estejam ajudando os feridos não podem ser alvos!

Tropas terrestres se aproximam e quando descobrem que duas crianças estavam na van que eles acabaram de atirar estão gravemente feridas, dois soldados dizem:

SOLDADO 1: Bem, é culpa deles trazer seus filhos em uma batalha.
SOLDADO 2: Isso mesmo.

😡

Este vídeo me virou o estômago.