Rotina…

Hoje acordei maus. Foi uma dificuldade sair da cama, lavar o rosto e muito mal humorada, escovei os dentes sem me olhar no espelho. Meu coração esta cheio de tristeza e desânimo e se eu pudesse, voltava a me meter debaixo das cobertas e ia dormir, desligar do mundo por umas boas horas.

O motivo não sei bem, mas tenho lá minhas suspeitas… Ontem estava bem, animada, fiz todas as coisas que tinha que fazer e mais um pouco. Mas hoje, sem mais nem menos, acordo assim, agoniada, azeda, cansada. Aposto que é a rotina, “todo dia fazendo tudo sempre igual”, tirando e colocando os momentos de diversão e lazer, que no fundo, no fundo, também não deixam de ser rotineiro: cinema, jantar, drinks com os amigos, visita ao museu, jogos, passeio na praia, comprinhas; lava-enxagua-seca-repete-o-ciclo. Parece que se eu olhar para o futuro ele será uma repetição cansativa do que foi e esta sendo hoje. E claro, diante desta constatação, deprimo.

Ai vem aquela vontade de largar esta mesmice, de fugir para um local onde eu não conheça nada nem ninguém, nem mesmo a língua, onde seria necessário começar do zero, aprender, se surpreender todos os dias com coisas, pessoas, situações novas e diferentes, onde cada dia seria único e não a cópia xerocada do dia anterior…

Parece a solução, mas e quando essa mesmissíma sensação que sinto hoje se instalasse, porque essa é uma história que se repete de tempos em tempos, não vou fingir que não. Fugir de novo, só para poder sentir-se viva? Quem me conhece sabe que já fiz isso algumas vezes e confesso, estou cansada das consequências destas mudanças, de não me sentir “em casa” em canto algum, de ter deixado amigos/relacionamentos importantes para trás, de não ter raízes firmes e fortes, da solidão…

Qual a solução então? Por hoje acho que calar-se e rezar para que o dia passe rapidamente e que amanhã, outro dia, chegue sem essa tristeza toda.

Claro que tinha que incluir aqui: