Paranormal Activity, 2009

Paranormal Activity foi o filme de 2009. Um chute no saco dos grandes estúdios: produzido por uns meros U$15.000 (uns 30.000 reais), sem nenhum estúdio envolvido, sem budget para marketing, sem contrato com distribuidoras, sem cinemas em grandes cidades interessadas em passar o filme.

Depois que um grupo de pessoas assistiu, ficaram com um medo danado, falaram para os amigos, escreveram a respeito na net, o filme virou uma febre: todo mundo querendo assistir e “como assim, não esta passando aqui na minha cidade?”. Abaixo-assinado rolando via net, pedindo exibição local (eu mesmo participei do abaixo-assinado) até que explodiu, passando em todos os grandes cinemas das grandes cidades da américa. Eu doida para ir ver, mas com medo, os colegas falando horrores, o namorado de uma amiga com medo de dormir, ela me conta. Nossa! Eu não vou ver não.

Passou o tempo e terça passada fiz uma movie night com a C. e a F. Finalmente, Paranormal Activity, o filme que arrecadou mais de U$160 milhões de doláres! Expectativas altíssimas, será que vamos conseguir dormir depois disso? Há! Piada. O filme é uma grande #@!%&. C. ficou com sono, F. não quis massacrar, eu achei um saco.

Aviso: se continuar a ler pode ser que o texto estrague a surpresa do filme.

Paranormal Activity

Não entendo como as pessoas podem ter tido medo daquilo. O namorado é um babaca, que faz exatamente o oposto do que o bom senso manda, continua a “investigar” mesmo quando a entidade claramente esta se fortalecendo do atrito que rola entre o casal (aquele lance do povo correr escada acima quando algo entra pela portas do fundo, sabe? bem ilógico); o “espiritualista” diz que não pode ajudar, chispa fora, hahahaha; a garota não vai procurar nenhum tipo de ajuda e o final, que palhaçada. Impossível ficar com medo de dormir depois disto. Tenhá dó gente! Que histerismo coletivo.

No final do filme ficamos debatendo o que estava errado e uma das meninas mandou bem: é filme prá gringo. Gringo bobo, completo. Como acreditar que um casal vivendo numa cidade grande (San Diego) ia passar por tudo isso sem pedir ajuda?

Se você quer se assustar, recomendo O Iluminado, de Kubrick. Tarde da noite, sozinho no quarto. Isso sim que é filme de medo. 🙂