Triste

Ai. Depois da visita da minha mãezinha e da minha amiga Y., ambas foram embora no início da semana me deixando totalmente só. Estou triste. É tão gostoso ter gente amada por perto, para bater um papão, dar altas risadas, falar bobagem, fofocar um pouco e ás vezes até argumentar sobre pontos de vistas diferentes, mas sempre sabendo que não importa qual posição tomamos, continuamos amigos e respeitando-se mutuamente. Não que eu não tenho amigos aqui com quem não tenho a mesma relação, mas confesso que são os amigos mais antigos, aqueles que sabem dos nossos momentos mais perrengues e principalmente minha mãe que me dão mais conforto, mais amor e aquela sensação de que não importa o que eu faça, mesma que eu cometas erros gravíssimos, eles vão me amar da mesma maneira. Piegas né, nos dias de hoje principalmente, mas eu sou piegas mesmo.

Hoje em dia tenho um relacionamento 10 com minha mãe. Depois de passar minha adolescência e jovem vida adulta em batalha, ambas largamos as armas e achamos um caminho feliz de viver. Posso dizer que os maus bocados e as dificuldades que passamos nos aproximaram, vimos que podiamos contar uma com a outra para qualquer coisa. Da minha parte foi mais fácil porque quando se é jovem sabe-se ser maleável. Para ela foi mais difícil, porque em muitos momentos eu cobrava uma mudança de atitude, uma mudança de como viver a vida e encarar as situações, algo menos fácil de se fazer quando se é mais velho e habituado a viver de certa maneira. Mas ela conseguiu, ao poucos se adjustou as mudanças e hoje me surpreende com algumas opiniões e atitudes.

Sei que não é hoje, mas feliz dia das mães. Elas são tudo de bom na vida da gente e sem ela não seríamos nada. 😀

Beijo mãinha.