Sherry Britton – Colorized

Getting the taste for coloring old photos. This one is my 2nd attempt at it and I’m pretty happy with the result. Have a couple of my favorite old photos that I plan to colorize in the next couple of days, let’s see how it will turn out.

Sherry Britton Colorized

Minha 1ª colorização

Estou fazendo um curso para refrescar e polir meus conhecimentos de PS e uma das melhores dicas que recebi foi usar o adjustment Hue/Saturation para colorir fotos PB. Pois resolvi testar e esta é minha primeira tentativa, que e fiz meio na correria, mas confesso que gostei bastante do resultado.

Escolhi deixar o vestido dela mais vibrante de propósito, depois de não curtir muito o tom pastel e apagado que tinha escolhido inicialmente. Entendi bem as pessoas que gostam de fazer isso, pois é bem legal trazer uma foto PB de volta a “vida”. No inicio achei que ia ficar péssimo, principalmente a cor da pele, mas ajustando uma pouco os sliders acabou ficando bem legal para esta noobie na colorização.

Ah sim, e deixei a meia preta de próposito.

Angie Dickinson colorized

Angie Dickinson

Novas séries 2017

Comecei a assistir Snowfall, uma série que retrata o início da epidemia de crack em Los Angeles no início da década de 1980. A trilha sonora é excelente e até o momento estou gostando. O último episódio desta temporada vai ser nesta quarta, dia 6, e parece que teremos uma 2ª temporada. Tomara que continue boa.

Snowfall Poster

Outra série que estou gostando bastante, apesar de estar bem no início é Mr. Mercedes, baseada no livro de mesmo nome de Stephen King. A trama gira em torno de um assassino psicopata que dirige um Mercedes roubado para cima de uma multidão e um detetive recém-aposentado que tenta achá-lo. Brendan Gleeson como o detetive Bill Hodges esta muito bom, e Harry Treadaway como Brady Hartsfield idem. Por enquanto eu recomendo para quem gosta do gênero thriller.

Mr. Mercedes Poster

Também comecei a assistir a série canadense Bellevue, com Anna Paquin no papel de Annie Ryder, uma policial cuja personalidade intensa sempre esteve em desacordo com sua cidade natal. Quando um adolescente transgênero desaparece, Annie mergulha de cabeça na investigação, o que a afasta de sua família, e também a faz ser confrontada por uma pessoa misteriosa de seu passado que traz respostas perturbadoras.

Bellevue Poster

Eu gosto deste estilo de série, mas não sei se vou continuar com Bellevue porque o personagem de Anna Paquin não esta me convencendo. Em vários momentos, pelo menos até agora, ela me lembra demais Sookie Stackhouse de True Blood, e a semelhança na atuação chega a me distrair. Pode ser impressão minha, ou porque eu gostei muito da atuação dela em True Blood, não sei, mas não estou conseguindo ver uma diferença entre os dois personagens. Talvez eu assista mais um episódio antes de desistir, vamos ver.

Ozark e Gypsy

Como já falei antes por aqui, gostei muito da série Ozark. Gostei da idéia central, dos personagens e das atuações. A trama é 100% noir e os personagens são multifacetados, o que eu adoro e quase sempre reclamo faltar em certas séries ou filmes.

Uma atuação que achei sensacional foi a de Julia Garner, que faz o papel de Ruth Langmore. Intensa e real, a gente não sabe bem o que se passa com ela, mas sabe que a cabeça dela esta sempre funcionando a 1.000 por hora.

Ozark Poster

Ozark não é perfeita, e uma das falhas na minha opinião é que Martin ‘Marty’ Byrde sempre arruma uma escapatória para as presepadas que acontecem ao seu redor. É sempre de raspão, e estamos sempre torcendo por ele, mesmo assim seria mais plausível se de vez em quando as coisas não funcionassem. Outra coisa que eu não gosto é a cor azulada que permanece durante todos episódios. Caramba, que coisa mais chata. Eu sei que o criador quer que o tom frio adicione a atmosfera da série, mas nesta ela é demais. Aliás, essa paixão de Hollywood com o matiz azul e laranja já deu o que tinha que dar, pelo amor dos meus filhinhos!

Enfim, eu adorei a série e estou feliz que foi renovada. Espero que a 2ª temporada continue com o mesmo fôlego desta 1ª e não despenque morro abaixo como outra série que tinha um super potencial, Bloodline.

Fiz a besteira de começar a assistir Gypsy, com Naomi Watts no papel de uma terapeuta que se envolve na vida dos seus pacientes. A idéia parecia boa e aviso de depois do 1º episódio a gente quer continuar a ver o que vai acontecer, mas infelizmente não é porque a série consegue te prender que ela seja boa.

Naomi esta ótima no papel da terapeuta, mas aos poucos a gente vai desgostando da personagem por não saber exatamente o que a motiva a fazer as coisas que ela faz. Ela quer ajudar os pacientes? Ela quer saber o outro lado da história? Ela vive uma vida muito chatinha e quer experimentar aventuras? Ela quer apenas manipular tudo e todos ao seu redor? São todas essas opções acima e mais alguma que eu não citei? Provavelmente…

Gypsy

Outra coisa que eu não gostei foi da vibe sexy-50-tons-de-cinza. Algumas cenas me pareceram brega demais e pouco naturais. Na página da série descobri que uma das produtoras é Sam Taylor-Johnson, que dirigiu 50 Tons de Cinza, então pode ser daí que a energia meio sexy-brega veio. Ou é mera coincidência, quem sabe…

O que aconteceu é que aos poucos fui perdendo a paciência com a trama e com as trapalhadas dela e só não parei de assistir porque já tinha investido muito tempo e queria ver o final. Gypsy não foi renovada e eu não indico, a não ser que você comece não esperando muita coisa. Ou caso tenha gostado bastante de 50 Tons de Cinza.

História dos Icones

Que viagem no tempo! Adorei este site que conta brevemente, e usando imagens, a história dos ícones. A lata de lixo do mac OS (que quando comecei a usar era flat), os folders isométricos que vieram depois, uau, que saudades…

Historia dos Icones

Millôr

Preciso melhorar minha precisão na hora de traçar paths no Illustrator se quiser usá-los com a técnica de “escrever no path” do AE. Para 1ª tentativa ficou okay, mas com um path melhor teria ficado show.

Frase de Millôr em gif